Homem alegre é divertido, mulher é puta?
17.11.2010 | Em: Relacionamento, Amor e Sexo
Não sou feminista. Acho uma perda de tempo ficar nessa história de mulher que luta para ser como homem. Mulher é mulher e homem é homem, ponto.
Mas, ando vendo umas coisas que me deixam de queixo caído.
A festa de domingo passado, ainda rende frutos no meu pensamento. O que acontece quando uma mulher é independente e alegre? Principalmente estando sozinha?
Se um grupo de homens está animado em uma mesa de bar: estão felizes.
Se é um grupo de mulheres, vem logo a frase: “se jogar milho não sobra nenhum.”
Claro que ninguém precisa viver as loucuras ao estilo Vera Fischer quando era baladeira, mas atire a primeira pedra quem nunca olhou para uma mulher despachada, alegre, sem medo de dar boas risadas e bebendo com um grupo de amigas e disse: “nossa, de onde saiu esse bando de mulher sem classe?”
 
Eu sei do que estou falando. Várias vezes já fui tachada de bêbada, estando sóbria, louca, “muito moderninha” ou coisas mais cabeludas como “isso é falta de uma pica”, juro que ouvi. Só porque saio para me divertir e me divirto.
 
Homens se sentem no direito de ir além, ser grosseiro, dizer disaforo, porque mulher direita é a dele que está em casa tomando o chifre. E o interessante é ver que muitas mulheres também pensam assim. Quando entram num relacionamento mudam até o tom de voz. Acho até as mulheres são as mais machistas.
 
Eu sei me defender, e me defendo dando o desprezo. Se a pessoa me ofende, simplesmente viro o rosto e continuo sendo eu, mesmo assim eu não engulo esse cerceamento machista. Na balada: homem alegre é divertido, mulher é puta?
O que você quer receber?
15.11.2010 | Em: Autoestima, Dilema Feminino, Dinheiro e Profissão
Quem nunca se sentiu mal quando alguém duvidou ou debochou de seu sonho?
Ontem aconteceu algo que nem quero me dar ao trabalho de registrar aqui. Foi ruim, mas serviu de lição.

Horas antes, eu estava na livraria e peguei um livro chamado “As 10 diferenças entre os milionários e a classe média.” Nem comprei, só abri em uma página e li algo que me serviria quando o fato acima aconteceu.

O autor diz que você deve procurar estar perto de quem vai contribuir para o seu crescimento. Se quer ser rico precisa estar perto de rico. Não porque ele é rico, mas porque ele vai falar de coisas que te levem até onde você quer chegar, naturalmente.
E, à noite, voltando de uma festa, tive essa certeza.

O fracassado só pode te dar fracasso.

O vencedor vai lhe dar estímulo. Porque é isso o que ele tem a oferecer.

Um sedentário vai falar de todas as coisas ruins do esporte. O esportista vai lhe falar de maneiras legais de vencer a preguiça, porque ele também tem, mas vence.

O rico vai lhe falar de dinheiro e bons investimentos. O pobre vai lamentar com você as dívidas.

O feliz vai lhe falar das coisas boas da vida. O deprimido vai lhe falar sobre todas as lamúrias do mundo. Porque é assim que ele vê a vida.

Só externamos o que está dentro de nós.

Quem só sonha e não realiza, vai te dar apenas palavras de desestímulo, porque é assim que ele vê o mundo, sempre desistindo. Sempre enxergando as dificuldades maiores que seus fracassos.

Quem sonha e realiza vai sempre lhe falar de vitórias, porque é atrás dela que ele sempre está.
Por isso, é bom pensar antes de sair de sair de casa e começar uma conversa com alguém para não se arrepender no final: O que você quer receber?
Não somos Demi Moore, mas podemos tentar. O que usar para chegar lá como ela?
12.11.2010 | Em: Relacionamento, Amor e Sexo
De quem é esse rosto? Um dia você acorda e vê no espelho, uma pessoa que não reconhece. Você olhou todos os dias, mas a mudança não era tão abrupta. Tão nítida.
Por mais que o espelho mostre aquele rosto, você não o reconhece como seu, porque na memória, ao menos nela, a imagem é outra.
Ontem, Demi Moore completou 48 anos. Ao olhar para o seu rosto podemos pensar que tudo vai dar certo, que no futuro o rosto será tão lindo quanto hoje. Mas como diz uma médica que conheci: “caia na realidade. Não me venha com esta história de artista! Eles vivem para isso. Nossa vida é real. Bem real.”
 
Sempre falo da segurança que os anos trazem, mas não sou ingênua. Olhar no espelho e ver mais celulite, mais gordura, menos cintura, menos tônus, não tem nada de bacana.
 
Não venham me dizer que demorou anos para juntar as rugas do seu rosto e, por isso tem orgulho delas. Ruga, dívida e marido pobre, ninguém quer, mas aprende a suportar.
 
Olhar para o espelho e não se reconhecer é mais difícil do que se imagina. Não se iluda com as pessoas que dizem que não se importam com as marcas do tempo. Vivemos na era da beleza, do Botox, da plástica.
 
Uma vez alguém me disse: o envelhecimento não vem em etapas. Um dia você dorme achando que escapou da lei da gravidade e quando acorda já foi pega por ela. Como todo mortal.
 
Por isso, já que é inevitável, não custa nada mosntar uma força tarefa: Não somos Demi Moore, mas podemos tentar. O que usar para chegar lá como ela?
Crise dos 30? Eu? PROJETO 30 EM 30 – Lançamento Oficial
10.11.2010 | Em: Espelho - Nutrição e Saúde
E está sendo lançando oficialmente o Projeto 30 em 30!
E Eu não podia deixar de vir aqui contar em primeira mão para todas vocês
que me acompanham por tantos anos.

Em dezembro de 2010 eu embarco, sozinha, para conhecer mais 8 países.

O Objetivo é chegar aos 30 com 30 países na bagagem e ainda refletir sobre o principal: a crise dos 30 que pegou no meu pé!  Começando por: Índia, Tailândia, Malásia, China, Camboja, Vietnam, Coréia do Sul e Japão.

Você vem comigo? Vou em dezembro e volto no dia 24 de janeiro, um dia antes de entrar na casa do 30. Pronto, agora todo mundo já sabe!

Agora, assista ao vídeo de lançamento e venha comigo!
Selecione Full Scren para ver melhor.

 

Como você viu no vídeo, todos os detalhes da viagem vão estar, em forma de dilemas, e no Juntos pelo mundo.
Mas você também pode acompanhar no:
Twitterwww.twitter.com/flavia_mariano e o Facebook sendo atualizado.
ARRISCAR = IMPRUDÊNCIA?
08.11.2010 | Em: Relacionamento, Amor e Sexo
Li uma vez uma frase que dizia:
“99% dos medos não se concretizam, mas eu vivo em função deles.”
Medo do marido ir embora, se eu sair sozinha com as amigas.
Medo do filho não me amar mais, se eu for firme com ele.
Medo de abrir a minha empresa.
Medo de tentar aquela profissão que sempre sonhei.
Medo de dizer não.
Medo de largar o emprego e fazer aquela viagem pelo mundo.
A única solução é: A-R-R-I-S-C-A-R. Pagar para ver. Porque o pior da vida é viver o: O que teria sido se eu…
Poderia ter dado errado, mas poderia ter dado certo. Essa é a unica certeza incerta que temos.
O medo nada mais é do que um artifício da sua zona de conforto dizendo: “fique onde está!!! Não arrisque, porque isso é para os imprudentes, sem filhos, sem emprego.” É? Quem disse isso? Sua mãe? Seu chefe? Ou um idiota covarde qualquer?
Quando somos crianças ouvimos repetidamente: “Tome cuidado!” Não percebemos, mas isso fica grudado na memória, no DNA.
Mas, cuidado demais estraga! A vida tem prazo de validade, assim como a comida.
Medo! Uma palavra de apenas 4 letras mais que tem muito mais força que a coragem com mais 3 letras de vantagem.
Não relacione arriscar com pular de bungee jump. Arriscar = Calcular. É ouvir a si mesmo e colocar em prática o que é importante para você.
O problema é que temos medo de arriscar, porque o medo diz: antes um pássaro na mão do que dois voando… Como todo ditado, deve ser usado na hora certa.
Tiririca arriscou. “Ah… mas ele não tinha nada a perder. Já é um palhaço.” Todos nós sempre temos algo a perder. Sempre! Até o palhaço. Mas e ai? Sempre tem um doido que acredita em nós e no caso dele foram mais  de 1 milhão de retardados. Mas isso só aconteceu porque ele arriscou.
O que os outros pensam de nós é detalhe, mas o que nós fazemos de nossa vida, não. Por isso, aproveitando esta frondosa segunda-feira, é bom responder: ARRISCAR = IMPRUDÊNCIA?